Visualizar descrição arquivística

Fundo BR SPAPESP AA - Altino Arantes
Relatórios

Identificação

Código de referência

BR SPAPESP AA

Título

Altino Arantes

Data(s)

  • 1888 - 1976 (Produção)

Nível de descrição

Fundo

Dimensão e suporte


  • Dimensão: 6 pastas e 28 encadernados (aproximadamente 2.360 itens documentais)
  • Suporte: papel, papel emulsionado.
  • Gênero: iconográfico e textual.

Contextualização

Produtor/Acumulador

Altino Arantes Marques (1876 - 1965)

Biografia

Altino Arantes Marques nasceu em Batatais no dia 29 de setembro de 1876, filho do coronel Francisco Arantes Marques e de Maria Carolina Arantes. Formou-se pela Faculdade de Direito de São Paulo em 1895. Casou-se com Maria Teodora de Andrade Junqueira, com quem teve dois filhos. Após a morte desta casou-se com Maria Gabriela Diniz Junqueira, filha de Joaquim da Cunha Diniz Junqueira, com quem teve uma filha. (1)
Eleito deputado federal pelo Partido Republicano Paulista (PRP) em 1906, foi reeleito em 1909, e, em 1911, renunciou ao mandato para assumir a Secretaria do Interior do Estado de São Paulo no governo de Manoel Joaquim de Albuquerque Lins. Manteve-se no cargo até 1915, durante o governo de Rodrigues Alves, chegando a acumular, interinamente, as pastas da Agricultura e da Fazenda.
Candidato à vice-presidência de São Paulo pela chapa liderada por João Álvares Rubião Júnior, com o falecimento deste, Arantes o substituiu e foi eleito Presidente do Estado de São Paulo em março de 1916, governando até maio de 1920.
Seguindo o lema “Economizar e Produzir” (2), sua administração teve como destaque a intensa iniciativa repressiva frente às greves operárias de 1917 a 1919; a encampação da Companhia Sorocabana de Estradas de Ferro em 1919 (3); a promoção da segunda valorização do preço do café, especialmente a partir de 1918 com a redução das taxas e das tarifas alfandegárias; a criação das Caixas Econômicas Rurais, dentre outras medidas.
Em seu governo foram criados: cargo de Delegado Geral, separando a direção da polícia civil da pasta da Justiça; Patronato Agrícola; Departamento do Trabalho; e, Diretoria de Terras e Colonização. Foi também o responsável por fundar a escola de aviação do Campo de Marte, que apesar de sua curta duração formou alguns pilotos da Força Pública (4). Além disso, em sua gestão, o Estado assumiu o Controle acionário do Banco de Crédito Hipotecário e Agrícola do Estado de São Paulo (que deu origem ao Banespa).
Em 1921, retornou à Câmara Federal como deputado, onde permaneceu até 1930, exercendo mandatos consecutivos.
Com a Revolução de 1930 e a ascensão de Getúlio Vargas ao poder, Altino Arantes passou à oposição. Em 1932, assinou um manifesto da Frente Única de São Paulo (FUSP), aliança entre o PRP e o PD, em oposição ao governo federal e no qual se afirmava a disposição de lutar por um novo regime republicano. No decorrer desse ano, a crise entre São Paulo e a União resultou na Revolução Constitucionalista de 1932, levante armado no qual Altino Arantes participou ativamente. Com a derrota dos paulistas e a cassação dos direitos políticos dos revolucionários, partiu para o exílio em Lisboa.
Em 1934, retornando ao Brasil, assumiu a presidência do PRP concorrendo novamente às eleições indiretas para o governo de São Paulo, mas sem se eleger. Com o fim do Estado Novo, em 1945, elegeu-se deputado por São Paulo para a Assembleia Nacional Constituinte, pela legenda do Partido Republicano (PR). Posteriormente, foi candidato à vice-presidência da República em 1950, mas desta vez pelo Partido Social Democrático (PSD), na chapa encabeçada por Cristiano Machado. Entretanto, o candidato vitorioso à vice presidência foi João Café Filho (5).
Além de sua atuação política e na administração pública, Altino Arantes manteve ainda atividades como escritor, tendo ocupado a cadeira 33 da Academia Paulista de Letras (6) e a presidido por 14 anos. Foi também membro e presidente do Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo (7).
Entre suas publicações, encontram-se os títulos: “A educação, fator predominante da recuperação moral e cívica”; “Saudades de Portugal”; “O culto das letras”; “O sacerdote na Igreja, na sociedade e na família”; “Imprensa e política” e, suas memórias, “Passos do meu caminho”.
Altino Arantes Marques faleceu na cidade de São Paulo no dia 5 de julho de 1965.

(1) ABREU, Alzira Alves de (coord.). Dicionário Histórico Biográfico Brasileiro pós-1930. Volume I. p. 312-314. 2ª ed. Rio de Janeiro: Ed. FGV, 2001.
(2) EGAS, E. Galeria dos Presidentes de São Paulo: Período Republicano (1889-1920) Volume II. Publicação Oficial do Estado de São Paulo, São Paulo, 1927.
(3) FERROVIA PAULISTA SOCIEDADE ANÔNIMA; Dirigentes da Sorocabana e Fepasa; Gráfica Fepasa; Jundiaí, 1983.
(4) ALVES, O. R. Os homens que governaram São Paulo. NOBEL/Edusp. São Paulo, 1986.
(5) ALVES, O. R. Op. cit.
(6) Site da Academia Paulista de Letras: http://www.academiapaulistadeletras.org.br/osacademicos.asp?temp=10&materia=164&cadeira=0
(7) ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Guia de Arquivos Privados do Arquivo do Estado de São Paulo. São Paulo, 1994.

História arquivística

Em 1976, por ocasião das comemorações do centenário de nascimento de Altino Arantes, a família ofereceu os documentos ao Arquivo Público, sendo a doação realizada por intermédio de sua filha, Maria Bernadette Arantes Junqueira (1). No Arquivo Público, na década de 1980, foi iniciado um inventário do fundo, mas apenas em 2001 foi elaborado um quadro de arranjo e produzido um catálogo (2).

(1) ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Arquivos do Governo do Estado de São Paulo: problemas e soluções. Relatório apresentado por Francisco de Assis Barbosa (jan. 1976 – jan. 1977), 1977, p. 62.
(2) ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Catálogo do Arquivo Pessoal Altino Arantes. São Paulo, 2001.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Conteúdo e estrutura

Conteúdo

O arquivo de Altino Arantes reúne documentos relacionados à sua vida pessoal, profissional e pública. Mensagens apresentadas ao Congresso Legislativo; relatórios financeiros; jornais e noticiário sobre seu governo em São Paulo; artigos e discursos relacionados à sua atividade política; artigos e discursos feitos em sua homenagem; ofícios, cartas e grande número de telegramas de notificação, de felicitação, de solicitação, de agradecimento e outros. Completam o conjunto, registros fotográficos e um diário pessoal (1) escrito durante seu período como governador de São Paulo.

(1) - Cópia reprográfica em 16 volumes. Os originais estão sob a guarda da Academia Paulista de Letras.

Avaliação, selecção e eliminação

Accruals

Classificação

A organização dos documentos apresentada a seguir foi estabelecida para o catálogo do Arquivo Pessoal Altino Arantes de 2001. Segundo os autores sua elaboração norteou-se por um plano de classificação que constituiu categorias de agrupamento e descrição de documentos, a partir de um critério cronológico-funcional da vida de Altino Arantes. Até o momento a organização lógica do catálogo foi mantida, mas as pastas receberam nova notação. Os grupos são os seguintes:


  • Governo do Estado de São Paulo (1914-1976):
                    Textual: 114.1.1 - 114.1.5, 114.4.1- 114.4.28 (5 pastas e 28 encadernados);
                    Iconográfico: ICO ALT 001 01.03 (1 pasta / 1 item);
  • Vida Familiar (1888-1964):
                    Textual: 114.1.4 – 114.1.5 (2 pastas);
                    Iconográfico: ICO ALT 001 02.03 (1 pasta / 4 itens);
  • Política Partidária (1916-1942):
                    Textual: 114.1.4 (1 pasta);
                    Iconográfico: ICO ALT 001 03.03 (1 pasta / 6 itens);
  • Assembléia Legislativa (1904-1955):
                    Textual : 114.1.4 (1 pasta).

Condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Sem restrição de acesso aos documentos textuais.

Quanto aos documentos de gêneros iconográfico e sonoro, o acesso é feito por meio das imagens digitais. A consulta aos documentos originais é disponibilizada somente em caso de inexistência de cópias digitais.

Condiçoes de reprodução

O pesquisador que tenha interesse em reproduzir algum documento do acervo textual pode fazê-lo com máquina fotográfica própria, preenchendo o pedido de Autorização de Reprodução de Imagens pelo qual se compromete a atribuir os créditos ao Arquivo Público do Estado e declara estar ciente das penalidades previstas por lei quanto à divulgação destas informações.

No caso de obras que não sejam de domínio público, a utilização é de responsabilidade exclusiva do usuário e depende da autorização expressa dos detentores dos direitos, ou na forma da Lei de Direito Autoral (Lei 9.610 de 16 de fevereiro de 1998).

Para as fotografias, a digitalização dos documentos será realizada pelo Núcleo de Acervo Iconográfico, mediante o preenchimento do Termo de Responsabilidade. Caso a obra já esteja reproduzida em microfilme ou arquivo digital, a cópia deverá ser obrigatoriamente produzida a partir da matriz. É permitida a reprodução fotográfica digital em baixa resolução, sem a utilização de equipamentos auxiliares, como flash e tripé. O serviço de digitalização estabelecerá uma quantidade máxima de documentos que poderão ser solicitados para digitalização.

Idioma(s) do(s) documento(s)

  • inglês
  • português

Escrita(s)

Notas ao idioma e script

Características físicas e requisitos técnicos

A maior parte dos documentos encontra-se em bom estado de conservação, alguns necessitando de pequenos reparos.

Instrumentos de descrição

ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Guia do Acervo. São Paulo, 1997.
ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Guia de Arquivos Privados do Arquivo do Estado de São Paulo. São Paulo, 1994.
ARQUIVO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO. Catálogo do Arquivo Pessoal Altino Arantes. São Paulo, 2001.

Documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Academia Paulista de Letras
Instituto Histórico e Geográfico de São Paulo
Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil (CPDOC) da Fundação Getulio Vargas
Assembleia Legislativa de São Paulo

Nota de publicação


  • MAGALHÃES, SONIA MARIA DE; PEREIRA, ROBSON MENDONÇA. O Diário Íntimo de Altino Arantes (1916-1918). 2015, Paco Editora, São Paulo.
  • MAGALHÃES, SONIA MARIA DE; PEREIRA, ROBSON MENDONÇA. Registros privados de uma vida pública: o diário íntimo de Altino Arantes. Topoi (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 14, n. 27, p. 363-388, jul./dez. 2013 | www.revistatopoi.org

Notas

Pontos de acesso

Assuntos relacionados

Localidades relacionadas

Nomes relacionados

Controle da descrição

Identificador da descrição

BR SPAPESP

identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

Estatuto

Nível de detalhe

Data(s) da descrição

2017

Idioma(s)

Script(s)

Fontes

Nota do arquivista

Centro de Acervo Permanente/APESP

Metadados do objeto digital

Digital object (Master) rights area

Digital object (Referência) rights area

Digital object (Visualização) rights area

Accession area

Ações